'Encontro Marcado': 14 Bis, Flávio Venturini, Sá e Guarabyra emocionam plateia em show no Rio

Uma reunião de sete amigos com 40 anos de carreira em um clima familiar e cheio de saudosismo aconteceu na noite desse sábado, 6 de junho, no Citibank Hall, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A banda Encontro Marcado, projeto formado por Flávio Venturini, Sá e Guarabyra e Sergio Magrão, Vermelho, Cláudio Venturini e Hely Rodrigues, do 14 Bis, levou o show de sua turnê homônima para os fãs cariocas dançarem e aproveitarem muito rock rural, progressivo e folk music, entre outras vertentes.

Com apenas 17 minutos de atraso, eles entraram no palco de forma tímida, formal, com uma música que fala de amizade e reencontros: “Canção da América”, do mineiro Milton Nascimento, grande fonte de inspiração para todos. As mais de duas horas de show que se seguiram fizeram o público cantar fervorosamente. As vozes muito bem alinhadas soavam como um coral, influência da música erudita, uma característica conhecida do movimento musical que revolucionou a MPB nos anos 70, o Clube da Esquina, do qual todos ali fizeram parte.

Um show intimista, sem recursos de grandes produções, nem exageros; só os sete, seus instrumentos e a luz, que combinava de forma exata com cada uma das canções. Nas mais calmas, a serenidade típica e bucólica de Minas Gerais. E nas agitadas, a garra de um grupo com décadas de estrada, mas, ao mesmo tempo, lembra um bando de jovens iniciantes, ávidos por mostrar seu som. Estava tudo ali: o humor de Sá, o jeito e voz inconfundíveis de Flávio, os solos de Cláudio (além de seu timbre muito parecido com o do irmão), a calmaria de Magrão, a percussão de Hely Rodrigues e a erudição de Vermelho.

Reunião de carreira e de vida

Eles já haviam tocado juntos em um evento, mas com shows separados. Hoje, formaram uma banda com os sete e dispensaram os músicos que costumam acompanhá-los em suas carreiras. Reensaiaram as músicas e criaram novas versões de antigos sucessos. Todos eles, juntos, têm mais de 1000 músicas gravadas e, segundo Sá, cada um tem um estilo e um quarto jeito de cantar foi criado, unindo o talento de todos.

Nos anos 70, o trio Sá, Guarabyra e Rodrix fez seu primeiro show no Teatro Casa Grande, no Rio, e procuravam um baixista e um baterista. Este último, por sua vez, então, chamou Sérgio Magrão. Um ano depois, quando Rodrix foi fazer carreira solo, precisaram de um tecladista e pediram indicação a Milton Nascimento, pois queriam um mineiro. Ele os apresentou Flávio. Na mesma época, dois egressos do Clube da Esquina moraram na casa de Guarabyra. Eram Vermelho e Hely Rodrigues. Quando a banda foi formada, acabou se tornando a segunda formação do grupo O Terço (na qual estavam outros integrantes). Desse grupo, formou-se o 14 Bis. Cláudio acompanhava os ensaios e seu talento com a guitarra o fez integrar a banda.

Durante as músicas, histórias e causos costuravam o repertório. Guarabyra contou, de forma muito teatral e cômica, como “Espanhola” surgiu, em uma congelante noite paulista, por causa de uma menina “formosa e lindíssima”, que casou com outro homem, não ele. Após a saída de um bar, ele fez uma parada na casa de Flávio, que já tinha a melodia. Guarabyra, que contou estar bêbado, escreveu a letra e no dia seguinte, sequer se lembrava de ter ido à casa do amigo. Ele se empolgou tanto com a história que, quando a música em questão começou a ser tocada, se confundiu e cantou “Caçador de Mim”, música que havia acabado de ser apresentada no show.

Emoções, planos e muito mais música

Sérgio Magrão adianta que o registro da turnê em DVD deve ser feito no segundo semestre. “Na realidade, a gente começou a registrar em CD, até para ensaiar e ter um cartão de visita (isso já na parte comercial), mas demos uma interrompida para pegar mais entrosamento, já que o projeto é novo nesse formato”.

“A coisa mais emocionante desse show para mim, acho que para eles também, é saber como um grupinho de amigos tão simples, tão querido, digamos até prosaico, conseguiu fazer um repertório tão grande e de tanta qualidade na música brasileira. Isso é a prova de que estamos de parabéns. Fizemos uma história que nos orgulha muito” comenta Guarabyra emocionado durante o concerto.

Renato Russo, que dividiu o estúdio com O Terço em 1986, foi homenageado com “Mais Uma Vez”, parceria dele com Flávio. Zé Rodrix, eterno parceiro de Sá e Guarabyra, também foi lembrado por Sá, que disse sentir muito por ele não poder fazer parte deste momento. O show foi encerrado com “Sobradinho” e a repetição das palavras “Adeus,adeus!” deixaram os presentes com vontade de curtir ainda mais aquele trabalho. Que esse encontro seja marcado por muito mais vezes.

Veja o setlist tocado pelo Encontro Marcado no show:

Canção da América

Criaturas da Noite

Primeira Canção da Estrada

Sonhando o Futuro

Me Faça Um Favor

Pássaro

Uma Velha Cancão Rock’n Roll

Mesmo de Brincadeira

Nascente

Mais Uma Vez (Homenagem a Renato Russo)

Noites Com Sol

Nave de Prata

Jesus Numa Moto

Nova Manhã

Céu de Santo Amaro

Azul da Cor do Mar

Natural

Caçador de Mim

Espanhola

Dona

Planeta Sonho

(Bis) Sobradinho

Comentários

comentários