Divórcio de Harvey Weinstein, acusado por assédio sexual, pode custar US$ 20 milhões

Georgina Chapman pediu separação após o escândalo de assédios

Divórcio de Harvey Weinstein, acusado por assédio sexual, pode custar US$ 20 milhões |(Foto: Gisela Schober/Getty)
Divórcio de Harvey Weinstein, acusado por assédio sexual, pode custar US$ 20 milhões |(Foto: Gisela Schober/Getty)

O divórcio do produtor cinematográfico Harvey Weinstein e da designer Georgina Chapman pode custar entre US$ 15 e 20 milhões, de acordo com especulações do jornal norte-americano People. Além da quantia dada à ex-mulher, Weinstein terá que arcar com as despesas da custódia dos dois filhos.

O valor da separação está muito além do que foi estabelecido no acordo pré-nupcial, divulgado pelo veículo TMZ em dezembro do ano passado. O documento estipula que, em caso de separação, Chapman receberia US$ 300 mil por cada ano de casamento com Weinstein.

Eles completariam 10 anos de matrimônio em dezembro, mas Georgina Chapman pediu a separação dois meses antes.

O divórcio foi anunciado em outubro, logo que Weinstein foi acusado por dezenas de mulheres de abuso sexual, em um dos maiores escândalos de Hollywood.

Georgina Chapman, na época, contou que tinha “escolhido deixar o marido”, ressaltando que estava “de coração partido” por todas as vítimas “destas ações imperdoáveis”.

O casal, que se conheceu numa festa em Manhattan em 2004, tem dois filhos, de 7 e 4 anos, que ficarão com a mãe.

Comentários

comentários