Carnaval Rio 2017: Sete escolas da Série A abrem o 1ª dia de carnaval na Marquês de Sapucaí

Acadêmicos do Sossego, Alegria da Zona Sul, Unidos do Viradouro, Império da Tijuca, União do Parque Curicica, Estácio de Sá e Acadêmicos de Santa Cruz desfilaram nesta sexta-feira

Bloco de Rua no Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Vidal/Riotur)
Bloco de Rua no Rio de Janeiro (Foto: Alexandre Vidal/Riotur)

Com o desfile da Acadêmicos do Sossego, de Niterói, foram abertos oficialmente os desfiles do Sambódromo da Marquês de Sapucaí em 2017. Homenageando a atriz e cantora Zezé Motta, a escola do Largo da Batalha entrou na Avenida às 22h. O enredo contou a história dos 50 anos de carreira da artista, que ficou imortalizada no cinema como “Xica da Silva”, interpretando a personagem-título no longa de 1976.

Alegria da Zona Sul (Foto: Fat Press/Liesa/Riotur)
Alegria da Zona Sul (Foto: Fat Press/Liesa/Riotur)

Também homenageando uma mulher que completa 50 anos de carreira, a Alegria da Zona Sul falou sobre a madrinha do samba, Beth Carvalho, que foi enredo de uma escola pela sexta vez. A agremiação da comunidade do Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, trouxe a homenageada no último carro, fechando o desfile com muita emoção.

Unidos do Viradouro (Foto: Fernando Grilli/Riotur)
Unidos do Viradouro (Foto: Fernando Grilli/Riotur)

Unidos do Viradouro, de Niterói, comemora em 2017, os 20 anos de seu único título no Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro, além de 70 de história. Com o enredo “E todo o menino é um rei”, a escola do bairro do Barreto levou para a Avenida o mundo lúdico da criança remetendo bastante a super-heróis e doces.

Império da Tijuca (Foto: Fat Press/Liesa)
Império da Tijuca (Foto: Fat Press/Liesa)

Falando sobre São João Batista, a Império da Tijuca levou à Avenida “O último dos profetas” e sua correlação com a cultura iorubá, onde é a entidade Xangô. A escola do Morro da Formiga, na Tijuca, contou toda a história do santo, desde seu nascimento até a sua morte. Além de ter tido um carro apagado, acabou se complicando com o tempo e deve perder um décimo por extrapolar em um minuto os 55 máximos de desfile.

União do Parque Curicica (Foto: Fat Press/Liesa)
União do Parque Curicica (Foto: Fat Press/Liesa)

Entrando na Avenida às 02h04, a União do Parque Curicica trouxe o enredo “O importante é ser feliz e mais nada”. A intenção da escola de Jacarepaguá também foi remeter à infância, lembrando de ícones dos anos 70 e 80, principalmente da TV. No fim, lembrou dos antigos carnavais e fechou o tempo no limite dos 55 minutos.

Estácio de Sá (Foto: Fat Press/Liesa)
Estácio de Sá (Foto: Fat Press/Liesa)

Rebaixada do Grupo Especial no ano passado, a Estácio de Sá homenageou um antigo morador ilustre do Morro do São Carlos: o cantor e compositor Gonzaguinha. Passando por toda a vida do falecido artista, a escola mais antiga do Brasil teve como um dos destaques um sósia do filho do Rei do Baião.

Acadêmicos de Santa Cruz (Foto: Fernando Grilli/Riotur)
Acadêmicos de Santa Cruz (Foto: Fernando Grilli/Riotur)

Última escola da sexta-feira de carnaval, a Acadêmicos de Santa Cruz destacou a importância da literatura infantil. A verde-branco da zona oeste falou dos personagens e elementos clássicos dos livros para crianças, como príncipes, princesas, reis, rainhas, bruxas, gigantes, castelos, entre outros, fechando o primeiro dia de desfiles da Marques de Sapucaí.

Comentários

comentários